29 de out de 2011

Mara


As coisas que vivi foram todas extraordinariamente intensas.
Arrependo-me de algumas sim, normal, mas sei que cada uma tem sua parcela de contribuição, por isso cheguei até aqui sendo essa pessoinha aqui.
Sempre, sempre mesmo, as coisas não foram o que pareciam e eu sempre, sempre mesmo, tive um tantinho de esperança no meu coração, um tantinho que me fez, e eu tenho certeza que fui, essa pessoa brilhante, sorridente e amiga. Eu jamais quis deixar uma pitada se quer de amargura em mim. Levantei a cabeça quando  fui mais infeliz. Tenho absoluta certeza que nada disso não teria acontecido sem Deus em minha vida. Talvez nem aqui estaria pra escrever tudo isso.
Mas acontece que a minha vida já deu voltas demais. E já não consigo me recuperar da tontura. Tudo foi longe demais. 
Eu me pergunto pra onde foi o tantinho de esperança que ainda restava dentro de mim... Procuro em cada estrela e não o vejo. Foi embora e nem deixou sua marca.
Hoje eu não tenho mais coragem de viver, não vejo mais graça, nem porque. Eu sei que Deus sabe de todas as coisas, mas sinto muito dizer o que estou dizendo agora, somente é a mais pura verdade.
Eu acho que já podem mudar meu nome para Mara, que significa amarga. Pois é isso que hoje sou, assim me tornei, porque a vida...a vida é muitíssimo injusta comigo. E quando digo isso é porque só eu e mais nenhum de vocês sabem o que eu passo.
Toda palavra de consolo e de ânimo já não faz mais efeito. Não faz!
Só Deus pode me refazer.
Ainda quero encontrar forças pra estar aqui, no entanto aquela Jessica que fui morre hoje. 
Sorry!

Um comentário:

Eva Laís disse...

Força amiga! Deus te abençoe! BjO =)