30 de jan de 2011

Silêncio


Não tô afim de ouvir nada...
Só o barulho da tua voz...porque barulho melhor que esse não há.
Sair dos meus limites e adentrar na tua presença...
Deixar-me e permitir tua vida pulsar em mim, abrir os olhos e ver tua beleza, ser imperfeita diante do que é perfeito...
Sussurra o vento, escuto o som da voz que é suave, mas que também é forte como um trovão...
É tudo que mais quero.
É tudo de que tenho mais saudade nesse momento...

28 de jan de 2011

"Amar é ser vulnerável"


"Ame qualquer coisa e certamente seu coração vai doer e talvez se partir. Se quiser ter a certeza de mantê-lo intacto , você não deve entregá-lo á ninguém , nem mesmo a um animal. Envolva-o cuidadosamente em seus hobbies e pequenos luxos, evite qualquer envolvimento, guarde-o na segurança do esquife de seu egoísmo. Mas nesse esquife – seguro , sem movimento , sem ar - ele vai mudar. Ele não vai se partir – vai tornar-se indestrutível, impenetrável , irredimível. A alternativa a uma tragédia ou pelo menos ao risco de uma tragédia é a condenação. O único lugar além do céu onde se pode estar perfeitamente a salvo de todos os riscos e pertubações do amor é o inferno".

C. S. Lewis

27 de jan de 2011

Chegou o tempo

Ela, que era a controladora, agora estava dominada. Dominada não por gente, mas por uma espécie de sentimento misturado com desejo, mas com muito desejo!
Não era nada como antes e ela simplesmente não sabia o porquê. Claro, se a gente soubesse os porquês de tudo seria muito sem graça viver.
Pois então, ela não fazia idéia do porquê de tudo aquilo, mas confiava que tudo ia dar certo e que as coisas iam ser levadas da forma que devia ser, não da forma que ela desejasse. Mas isso era o que desejava seu coração e então como saber se estava entregando sua vida às vontades divinas ou às suas próprias?
A sensação era muito nova para ela e medos surgiam como enxame de abelhas que aparece nas horas em que se menos espera. Onde tinha ido parar a pessoa auto-confiante, forte e dominante? Ela se perguntava.
Deparava-se com a impulsividade e os instintos passavam a ser mais fortes que sua razão. Ela não sabia, ela, talvez, nem quisesse saber, mas de vez em raro parava se perguntando.
Coisas mais loucas que acontece com a gente nesse mundo...Ela pensava todos os dias.
Mas o melhor de tudo era ver a felicidade sempre nos olhos dela, uma alegria tão incomum, tão boa. E pensar que, um dia, ela chegou a imaginar que nunca viveria aquilo...
Realmente há tempo para tudo nessa vida e o tempo pra ela viver aquilo acabava de chegar...Restava apenas aproveitar...





25 de jan de 2011

É que por enquanto a metarmofose de mim em mim mesma não faz sentido. É uma metamorfose em que eu perco tudo o que tinha, e o que sou. E agora o que sou? Sou: estar de pé diante de um susto. Sou: o que vi. Não entendo e tenho medo de entender, o material do mundo me assusta, com seus planetas e baratas.


Clarice Lispector




23 de jan de 2011

Rindo à toa

Ha ha ha ha ha, mas eu tô rindo à toa 
não que a vida esteja assim tão boa
mas um sorriso ajuda a melhorar ♫


Lembrei dessa música hoje porque realmente traduz o que estou sentindo...nem tudo tá 100%, mas graças a Deus que ainda tenho bons motivos para rir e mesmo em falta deles ainda posso faze-lo.... (rsrs).
Só sei que a vida é estranha demais: um dia é tão mais feliz que o outro e às vezes peço a morte durante uma semana...que loucura!
Acabo de me lembrar de outra música e encerro minhas poucas palavras citando a frase, talvez, mais significativa:

Se chorei ou se sorri, o importante é que emoções eu vivi ♪

17 de jan de 2011

10 de jan de 2011

6 de jan de 2011

É você ♫


É você
Só você
Que na vida vai comigo agora
Nós dois na floresta e no salão
Nada mais
Deita no meu peito e me devora
Na vida só resta seguir
Um risco, um passo, um gesto rio afora 

É você
Só você
Que invadiu o centro do espelho
Nós dois na biblioteca e no saguão
Ninguém mais
Deita no meu leito e se demora
Na vida só resta seguir
Um risco, um passo, um gesto rio afora
Na vida só resta seguir
Um ritmo, um pacto e o resto rio afora..
.♫

Marisa Monte

4 de jan de 2011