29 de abr de 2011

Ela


E mais uma vez  lá estava ela, deitava em sua cama. Acabara de voltar e estava frustrada (mais uma vez) e tentando entender o porque de tudo aquilo (mais uma vez).
Escolheu uma das melhores roupas, se perfumou, olhava-se no espelho para ver se estava bem, mas também olhava como se ensaiasse o encontro com os olhos que apreciava. Parecia tudo nos conformes.
Saiu com sorriso no coração, maçãs coradas, uma rosa desabrochando.
Voltou pálida, com uma gota querendo escorrer de seus olhos. Não entendia, queria entender e por vezes, preferia o não entendimento.
Se lamentava em seu leito de angústia e dúvidas e ia começando a ouvir aquela voz que empurra a gente pra felicidade, ainda tonta, aborrecida e sem saber por onde ir.
Ela só era mais umas das "desapontadas". 
A rosa fora despedaçada, o cravo se havia perdido...

27 de abr de 2011

Uma dose de Tati Bernadi



‎"Vence quem passa por essa vida rindo. E se o preço que se paga por ser um pouco feliz é ser um pouco idiota, dane-se."

Tati Bernardi

25 de abr de 2011

Rasgar detalhes?


Vim reparando no modo fútil que as pessoas vivem os momentos: elas têm suas experiências, instantes e histórias vividas e quando aquilo vira passado lisonjeiam-se por guardar o vestígios, os sorrisos, as coisas marcantes. Esquecem-se, porém, dos detalhes.
Ora, não são os detalhes que fizeram únicos e especiais tais momentos? Onde estão, pois, eles? 
Entregues ao esquecimento, os detalhes, fogem de nossa perspectiva e se encapsulam microscopicamente não sei aonde. 
Humanos precisam aprender a guardar o modo como sorriam quando crianças, devem reter da velha infância o bico de birra que fazia da teima algo tão engraçado, precisam capturar onde foram tocados num abraço de aniversário, qual a palavra usada pelo cônjuge para conquistar o coração, o gosto daquele chocolate da páscoa passada, da embalagem do presente que recebeu da mãe no último aniversário, enfim. Precisamos reter o que fazem dos pequenos instantes grandes momentos, numa visão além do afeto e amor que se tem pelas pessoas que fazem parte de cada um deles.
Essa é a lógica de diferenciar o natal passado do retrasado. Se pode até diferenciar pelo local, pela roupa que se vestiu ou pelo que ganhou de presente, mas pare pra pensar: é realmente isso que os diferencia ou que torna um melhor que o outro? O tempo dedicado à preparação da ceia ou da arrumação da casa, o olhar que se tinha das pessoas em volta, o gosto da comida, o tempo nublado ou céu estrelado, isso sim os diferencia. Porque são os pequenos detalhes que enriquecem os momentos de formas diferentes, mesmo tendo eles acontecido nas datas especiais que se repetem ano a ano.
Se fala em rasgar os detalhes, que o interessante é a essência. Tolo é quem pensa assim. De que é feita a essência se não da riqueza de detalhes?
Rasgue a data, se apegue ao dia da semana. Rasgue o mês, se detenha ao ano. Rasgue as cartas, não esqueça das letras e do nome. Rasgue o encontro, se achegue aos olhares. Rasgue a bronca, se lembre do porquê dela. Rasgue o texto, recrie o contexto.
Rasgue os vestígios, guarde os detalhes.
Assim fica mais fácil, assim será inesquecível. Experimente.

Eu quero lembrar do tom voz dele me pedindo pra namorar... =D

23 de abr de 2011

 "De tudo, ficaram três coisas: a certeza de que ele estava sempre começando, a certeza de que era preciso continuar e a certeza de que seria interrompido antes de terminar. Fazer da interrupção um caminho novo. Fazer da queda um passo de dança, do medo uma escada, do sono uma ponte, da procura um encontro."


Fernando Sabino




21 de abr de 2011

Por amor do amor

Ama-me por amor do amor somente
Não digas: "Amo-a pelo seu olhar,
O seu sorriso, o modo de falar
Honesto e brando. Amo-a porque se sente

Minh'alma em comunhão constantemente
Com a sua." Porque pode mudar
Isso tudo, em si mesmo, ao perpassar
Do tempo, ou para ti unicamente.

Nem me ames pelo pranto que a bondade
De tuas mãos enxuga, pois se em mim
Secar, por teu conforto, esta vontade

De chorar, teu amor pode ter fim!
Ama-me por amor do amor, e assim
Me hás de querer por toda a eternidade.

Elizabeth Brownig

19 de abr de 2011

Uma sensação

Me sobreveio a sensação de que  a vida tem  passado diante de meus olhos e ao mesmo tempo não tenho visto nada passar.
As coisas estão se passando, passando, passando... e fica só por aí.
Não há continuação. É como se estagnada ainda estivesse, sentindo só a brisa do mar refrescar meu corpo e não levar nada de mim, nem acrescentar grãos de areia em minha pele.
Sensação que não quero mais sentir.
Mas eis a questão: é somente uma sensação?


by Jessica

18 de abr de 2011

Versículo

"Então orou Ana, e disse:


O meu coração exulta ao Senhor, o meu poder está exaltado no Senhor; a minha boca se dilatou sobre os meus inimigos, porquanto me alegro na tua salvação."

1 Samuel 2: 1

16 de abr de 2011

Pulso


meu corpo só,

estendido
na maciez do ócio
e os minutos em procissão;
vagos, vadios,
à mercê
do ponteiro vermelho
que bate
qual meu coração...




sessenta vezes.


Autora: Amora

14 de abr de 2011

Tirando de mim


Estou tirando de mim aquilo que quer se parecer ruim, o que me cansa e desanima.
Estou tentando manter o equilíbrio e esgotar o cansaço.
Quero tirar vantagem de alguma coisa dessa luta toda.
É fogo viver se lamentando. Quero tirar isso de mim.
Por mais que sejam muitos os motivos.
Estou tirando,

tirando de mim.

12 de abr de 2011

Oh vida!


Oh, vida minha!
Oh, minha vida!
Minha vida, oh...
Vida oh, ... minha.

No país das maravilhas?


"Mas eu não quero me encontrar com gente louca", observou Alice.
"Você não pode evitar isso", replicou o gato. "Todos nós aqui somos loucos. Eu sou louco, você é louca."
"Como você sabe que eu sou louca?" indagou Alice.
"Deve ser", disse o gato. "Ou não estaria aqui".

Lewis Carroll

9 de abr de 2011

Dose de Clarice

"Eu queria escrever luxuoso. Usar palavras que rebrilhassem molhadas e fossem peregrinas. Às vezes solene em púrpuras, às vezes abismais esmeraldas, às vezes leves na mais fina seda macia".

Lispector, C.   



8 de abr de 2011

"E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará"

A frase título do post foi dita por Jesus após ser interrogado pelos discípulos a respeito dos sinais do fim do mundo e da sua volta. Um dos sinais é este: a iniquidade se multiplicará e, consequentemente o amor de muitos se esfriaria.
Eu pergunto a vocês: Estamos ou não vivenciando este tempo?
A chocante notícia do atentado às crianças da Escola Municipal Tasso da Silveira, no Rio de Janeiro, nesta quinta-feira me deixou muito perplexa e triste. Fui saber da notícia hoje, pois ontem não pude assistir TV, devido a falta de tempo. Vendo as imagens e lendo os depoimentos de alguns alunos me emocionei muito e a indignação, acho que inerente a  todo ser humano sensato, também tomou conta de mim.
Como voltar a frequentar às aulas? Como as crianças (principalmente), os pais e professores recomeçarão suas vidas depois de tal tragédia?
Imagino que não vai ser nada fácil.
Eu não sei quais os traumas que este homem possuía. Desconheço sua criação, sua família, o modo como vivia, o que pensava, do que gostava, enfim. Não sei o que ele sofreu no passado para ter a atitude de invadir uma escola com a intenção de matar todos os alunos (e matou muitos), mas sei de uma única coisa e esta, por si só, é suficiente para ir contra a sua idéia: nada, por pior que tenha sido, do que ele sofreu justifica a barbaridade que ele cometeu. Ele não merecia matar e muito menos morrer por motivo algum, visto que Jesus já deu sua vida em troca da vida de qualquer ser humano que habite essa terra.
Ele merecia de tratamento e de cuidados, mas, infelizmente, agora é tarde demais!
"Porque o amor ao dinheiro é a raíz de toda espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé e se traspassaram a se mesmos com muitas dores." 1 Timóteo 6: 10
"Pela transgressão da terra muitos são os seus príncipes, mas homem prudente e entendido a sua continuidade será prolongada." Provérbios 28: 2

O fim de tudo isso está próximo!


6 de abr de 2011

"O jeito americano"

Me encantei pelas obras inusitadas do artista americano Terry Border. Sua coleção traz cenas de objetos do cotidiado vivenciando situações comuns de maneira bem cômica.
A que mais me chamou a atenção foi a obra entitulada "O jeito americano": um hambúrguer segurando um pacote de batatas fritas e um copo de coca-cola, fazendo referência a estátua da liberdade, monumento bastante conhecido dos EUA e símbolo da cidade de Nova York.
HA HA HA, eu adorei!

MUITO criativo.

Quer ver mais?

AH...
Não poderia deixar de postar essa (rsrsrs), afinal, banana é minha fruta preferida... HA HA HA


5 de abr de 2011

Algumas necessidades


Devo estar necessitando de uma dose de vinho, de um abraço e de um carinho.
Devo merecer um tempo, um chocolate e beijinho.
Talvez esteja cansada de ausência. Acho que mereço presença.
Preciso me Vitalizar.

4 de abr de 2011


Quanto mais deixamos que Deus assuma o controle sobre nós, mais autênticos nos tornamos - pois foi Ele quem nos fez.
Ele inventou todas as diferentes pessoas que eu e você tencionávamos ser (...)
É quando me viro para Cristo e me rendo à sua personalidade que pela primeira vez começo a ter minha própria e real personalidade.

C. S. Lewis

3 de abr de 2011

Porque eu sei que é amor

Porque eu sei que é amor
Eu não peço nada em troca
Porque eu sei que é amor
Eu não peço nenhuma prova

Mesmo que você não esteja aqui
O amor está aqui, agora
Mesmo que você tenha que partir
O amor não há de ir embora

Eu sei que é pra sempre
Enquanto durar
E eu peço somente
O que eu puder dar

Porque eu sei que é amor

Sei que cada palavra importa
Porque eu sei que é amor
Sei que só há uma resposta

Mesmo sem porquê eu te trago aqui
O amor está aqui comigo
Mesmo sem porquê eu te levo assim
O amor está em mim
Mais vivo

Eu sei que é pra sempre
Enquanto durar
E eu peço somente
O que eu puder dar

Porque eu sei que é amor
Porque eu sei que é amor



(Titãs)





2 de abr de 2011

Ser ou não ser? Eis a questão II

No post anterior diz que querer ser como a gente é ainda nos leva além. E parando pra analisar, que além é esse??
Penso que não é um 'além' muito bom. Ser dessa maneira humana e tão imperfeita que nós somos não é nada agradável, pelo contrário, só nos leva a aflição, a tristeza, a constante procura pela felicidade e nunca a satisfação, porque nossa natureza é assim, insatisfeita.
Deus tem um plano tão maravilhoso pra cada um de nós que é bem maior do que qualquer um que se possa imaginar e a única coisa que ele nos pede em troca é o nosso ser. A mudança de vida que ele pode fazer em nossas vidas é, realmente, o que nos leva além. Dessa vez um 'além' melhor.
Quando deixamos de ser exatamente como somos e deixamos Cristo viver em nós, encontramos a verdadeira felicidade e, mesmo vivendo com todas as dificuldades do caminho, temos paz. Uma paz diferente da que o mundo pode dar e uma felicidade indescritível!