30 de dez de 2010

Mais um ano se vai...


...e a vida continua.
Nada de muita paz, felicidade, amor...
A violência ainda existe, a miséria mata milhares e os corações parecem desconhecer ainda mais o nobre sentimento que Deus nos deixou.
Todo fim de ano é o mesmo papo, já tô cansada disso!
O ano acaba, mas a vida continua... não se começa nada do zero, o tempo apenas corre e corre bem rápido.
2010 foi um ano bom: aprendi muita coisa, conheci pessoas incríveis, chorei de alegria e conheci mais um pouquinho de Deus!
Tive muitas preocupações e tristezas também. Faz parte, né?! O importante é que aprendi muito e vou levar tudo pra o resto de meus dias.
Não sou de fazer promessas pra o novo ano, gosto de pensar em coisas boas que poderiam acontecer, e só. Vou deixando acontecer, devagar, da maneira que Deus queira...ele sabe de tudo!
Em 2011 desejo continuar a jornada mais perto de Deus, mais forte e com mais certeza do que quero. Muitas coisas podem acontecer, boas ou ruins, e quero está preparada, mesmo que a preparação seja depois do acontecido (rs).
É momento de refletir onde erramos pra que possamos fazer diferente e de relembrar aquilo que fizemos certo para poder aperfeiçoar.
É momento de pedir a Deus mais sabedoria e amor. Sabedoria pra lhe dar com as situações que enfrentaremos e amor pra que possamos viver da maneira que Deus deseja que vivamos. 
Acho que está na hora de correr....

correr para continuar a vida... Que venha 2011!!!!!!!

29 de dez de 2010

Eh, nada é perfeito!


Mas aconteceu que o pequeno príncipe, tendo andado muito tempo pelas areias, pelas rochas e pela neve, descobriu, enfim, uma estrada. E as estradas vão todas em direção aos homens.
- Bom dia! - disse ele.
Era um jardim cheio de rosas.
- Bom dia! - disseram as rosas.
Ele as contemplou. Eram todas iguais à sua flor.
- Quem sois? - perguntou ele espantado.
- Somos as rosas - responderam elas.
- Ah! - exclamou o principezinho...
E ele se sentiu profundamente infeliz. Sua flor lhe havia dito que ela era a única de sua espécie em todo o Universo. E eis que havia cinco mil, iguaizinhas, num só jardim!
"Ela teria se envergonhado", pensou ele, "se visse isto... Começaria a tossir, simularia morrer, para escapar ao ridículo. E eu seria obrigado a fingir que cuidava dela; porque senão, só para me humilhar, ela seria bem capaz de morrer de verdade..."
Depois, refletiu ainda: "Eu me julgava rico por ter uma flor única, e possuo apenas uma rosa comum. Uma rosa e três vulcões que não passam do meu joelho, estando um, talvez, extinto para sempre. Isso não faz de mim um príncipe muito poderoso..."
E, deitado na relva, ele chorou.
E foi então que apareceu a raposa:
- Bom dia - disse a raposa.
- Bom dia - respondeu educadamente o pequeno príncipe, olhando a sua volta, nada viu.
- Eu estou aqui - disse a voz, debaixo da macieira...
- Quem és tu? - Perguntou o principezinho. - Tu és bem bonita...
- Sou uma raposa - disse a raposa.
- Vem brincar comigo - propôs ele. - Estou tão triste...
-Eu não posso brincar contigo - disse a raposa. - Não me cativaram ainda.
- Ah! Desculpa - disse o principezinho.
Mas, após refletir, acrescentou:
- Que quer dizer "cativar"?
- Tu não és daqui - disse a raposa. - Que procuras?
- Procuro os homens - disse o pequeno príncipe. - Que quer dizer "cativar"?
- Os homens - disse a raposa - têm fuzis e caçam. É assustador! Criam galinhas também. É a única coisa que fazem de interessante. Tu procuras galinhas?
- Não - disse o príncipe. - Eu procuro amigos. Que quer dizer "cativar"?
- É algo quase sempre esquecido - disse a raposa. Significa "criar laços"...
- Criar laços?
- Exatamente - disse a raposa. - Tu não és ainda para mim senão um garoto inteiramente igual a cem mil outros garotos. E eu não tenho necessidade de ti. E tu também não tens necessidade de mim. Não passo a teus olhos de uma raposa igual a cem mil outras raposas. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás para mim único no mundo. E eu serei para ti única no mundo...
- Começo a compreender - disse o pequeno príncipe. - Existe uma flor... eu creio que ela me cativou...
- É possível - disse a raposa. - Vê-se tanta coisa na Terra...
- Oh! Não foi na Terra - disse o principezinho.
A raposa pareceu intrigada:
- Num outro planeta?
- Sim.
- Há caçadores nesse planeta?
- Não.
- Que bom! E galinhas?
- Também não.
- Nada é perfeito - suspirou a raposa.

Trecho do livro que adoro: O pequeno Príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry.

27 de dez de 2010

Sem explicação


Tem coisas que acontece com a gente que não precisam ser entendidas, elas apenas acontecem. E isso basta.
Por mais que seja difícil de entender a "não explicação" o mais simples a ser feito é apenas deixar que aconteça sem questionar, sem reclamar, sem se intrometer. Apenas deixar acontecer.
Por algum motivo, essas coisas que não exigem motivos para que aconteçam, mais cedo ou mais tarde, nos dá um presentinho pra gente, sejam eles bons ou ruins. Porque não ter motivos não significa não ter propósitos.
O que devemos aprender é que não importa os motivos no momento que se acontece essas coisas. 
Existe a hora exata pra se preocupar: a hora que a gente abre a caixinha e vê o que é o presentinho.

24 de dez de 2010

Que tempo é esse?


Que tempo é esse que muda o ambiente, que alegra as pessoas, que aproxima gente?
Que tempo é esse que faz as pessoas se presentearem e confraternizar não sei o que?
Que tempo é esse, onde os corações se compadecem e a solidariedade é marca registrada?
Que tempo é esse que o amor parece fluir entre quase todos?
Que tempo é esse que, como num passe de mágicas a felicidade estampa na cara das pessoas?
O ânimo, a roupa nova, a mesa farta...que tempo é esse?
É o Natal?
Só pode, né?! Afinal, é esse o período do ano que as pessoas se lembram de ajudar o próximo, de dizer eu te amo pra o pai, de presentear uma pessoa especial, de convidar os amigos pra uma troca de risos, presentes e carinho, de enfeitar a casa, montar a árvore e outras cositas mais...
Chegou a época dos corações solidários, de acreditar em esperança e de falar no menino Jesus.
Eu particularmente gosto dessa época do ano, porque parece que o espírito das pessoas é mais bonito, as coisas ficam tão mais alegres!
Mas, apesar da beleza do Natal, eu me pergunto sempre: porque e para que tudo isso, se durante os 11 meses anteriores do ano o orgulho, a prepotência, o desespero, o estresse, a ignorância e tantas outras coisas ruins prevalecem? Do que adianta todo esse espírito natalino, se no ano todo milhões de pessoas morrem de fome e não encontram ninguém para ajudá-las?
Deus quer que vivamos o ano todo com alegria do Natal!
Por isso não faça do fim de ano o momento exclusivo para presentear seus amigos e sua família, faça isso durante o ano todo. Com sorrisos, com abraços e com carinho, pois isso é o mais importante.
Se o mundo fizesse isso, seríamos todos bem mais felizes!


Feliz Natal ♥

19 de dez de 2010

Súplica

Deus...
não sou capaz de seguir sozinha, nunca fui.
Esse meu desatino que se mete sem pedir licença é pura ignorância, teimosia de achar que pode fazer as coisas...
Eu não posso nada, Tu é quem pode!
Porque, se o olhar desvia-se do foco, tudo ao redor mergulha em lamas profundas e tão imundas, que o sofrimento fica insuportável.

Eu não queria cair, eu nunca quis.
O mal tem essas de se fazer de bonzinho...e quando a gente vê já não se têm muito o que fazer.
A não ser suplicar. Suplicar pela intervenção da mão divina, criadora de toda essa magia que conecta os mundos a todo universo.

Ah, quão boa é a súplica!
Se posso realizar tal feito, é cabível a existência de alguém maior do que eu e do que todos, e que prontamente pode me socorrer...E tudo pode voltar a ser bom.
Não como era antes, porque nada acontece duas vezes da mesma maneira, mas tudo pode se tornar significativamente mil vezes melhor!!!!!!!

17 de dez de 2010

Conchas



"Ficar ocupado é uma droga que vicia muitas pessoas. É claro que há fases na vida em que alguém próximo a você ficou doente, ou você começou um novo negócio ou emprego, ou tem algo acontecendo na escola ou com sua família. Mas precisamos examinar o ritmo das nossas vidas se pretendemos finalmente fazer uma só coisa...

Você é assim? Tão ocupado fazendo tantas coisas, que suas mãos estão cheias de conchas? E algumas delas, ou talvez todas, podem ser até boas, mas você é incapaz de agarrar a estrela-do-mar..."

Rob Bell

[...]


"Não, não, a minha memória não é boa. Ao contrário, é comparável a alguém que tivesse vivido por hospedarias, sem guardar delas nem caras nem nomes, e somente raras circunstâncias. A quem passe a vida na mesma casa de família, com os seus eternos móveis e costumes, pessoas e afeições, é que se lhe grava tudo pela continuidade e repetição. Como eu invejo os que não esqueceram a cor das primeiras calças que vestiram! Eu não atino com a das que enfiei ontem. Juro só que não eram amarelas porque execro essa cor; mas isso mesmo pode ser olvido e confusão.
E antes seja olvido que confusão; explico-me. Nada se emenda bem nos livros confusos, mas tudo se pode meter nos livros omissos. Eu, quando leio algum desta outra casta, não me aflijo nunca. O que faço, em chegando ao fim, é cerrar os olhos e evocar todas as cousas que não achei nele. Quantas idéias finas me acodem então! Que de reflexões profundas! Os rios, as montanhas, as igrejas que não vi nas folhas lidas, todos me aparecem agora com as suas águas, as suas árvores, os seus altares, e os generais sacam das espadas que tinham ficado na bainha, e os clarins soltam as notas que dormiam no metal, e tudo marcha com uma alma imprevista que tudo se acha fora de um livro falho, leitor amigo. Assim preencho as lacunas alheias; assim podes também preencher as minhas".


Trecho do livro Dom Casmurro de Machado de Assis.





16 de dez de 2010

Lágrimas



Sei que chorar não resolve.

Mas ainda assim eu choro, pra tentar perceber algum consolo...

13 de dez de 2010

♫♪


Minha pequenina luz vou deixar brilhar,
minha pequenina luz vou deixar brilhar,
brilhar, brilhar, brilhar   ***


11 de dez de 2010

Engasgada

Uma resposta, apenas uma simples resposta, pode mudar todo rumo da história...

...uma ironia, uma brincadeira boba, um não ou um sim... desfaz a rota, encurva o que era reto, acaba com um sorriso, me deixa engasgada!

¬¬





10 de dez de 2010

Quadrilha



João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim
que amava Lili que não amava ninguém.
João foi para os Estados Unidos, Teresa para o convento,
Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para tia,
Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto Fernandes
que não tinha entrado na história.

Carlos Drummond de Andrade

7 de dez de 2010

Eh...

e pensar que achava já ter sentido de tudo...
Me deparar com aqueles olhos não foi apaixonante, muito menos mágico. Foi mais do que qualquer palavra que tente explicar um sentimento bom por alguém.
Senti que aquele era o momento de permitir e repartir tudo de lindo que o meu coração tem. Era aquele olhar, sem ter razão ou explicação.
É exatamente isso que eu queria.
Não sei bem porque as pessoas nos cativam, mas sei como. É o simples sentir e disto parte-se todos os movimentos.
Pela primeira vez na minha vida tenho um sentimento concreto pra dizer que sinto. Não que eu não tenha sentido algo antes. Sim, senti, mas antes eu apenas dizia sentir. Em momento algum me perguntava porque sentia ou de onde vinha o sentimento. O sentimento estava ali porque acreditava nisso.
Agora não, eu sinto não porque simplesmente acredite nisso, mas porque tenho vontade de sentir. Eu faço existir e eles acontecem.
Pode até ser que aqueles olhos fujam, algum dia, dos meus, mas não vou dizer nunca que tudo foi ilusão, porque quando quiser posso deixar de sentir. Ilusão é, pra mim, aquilo que nunca existiu, e esse não é nosso caso.
Por mim pode durar toda a vida. Enquanto eu desejar ver aqueles olhos, beijar aquela boca, abraçar aqueles braços e, assim, me ver feliz, continuarei a sentir...




O coração de uma mulher deve ser tão próximo de Deus que um homem precisa persegui-Lo para encontrá-la. 
(C. S. Lewis)




5 de dez de 2010


"Não sei se quero descansar,por estar realmente cansada ou se quero descansar para desistir"

frase de Clarice Lispector - ela sempre adivinha o que eu quero falar! =P

4 de dez de 2010


O que me impressiona é esse jeito que as pessoas têm de serem sempre agradáveis...
Coitadas!
Tão vazias!

3 de dez de 2010

Rob Bell ' Nooma - 01: "Rain"



Deus está comigo em todo momento...
até mesmo naqueles em que meu pobre ser não consegue vê-lo!

2 de dez de 2010

Continuidade

Não sei, mas sinto uma força que embala tudo...
Tudo junto numa coisa só
Sem ditados, sem normas
Só sensação, como numa canção
Pensamentos de levar ao delírio
Abraço forte de dar calafrios
Jogando o jogo do momento
que de cada momento faz-se o todo
E assim teve início
E assim tem-se vivido
E assim que não tenha fim
Só continuidade.

1 de dez de 2010

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
Muda-se o ser, muda-se a confiança;
Todo o mundo é composto de mudança,
Tomando sempre novas qualidades.

Continuamente vemos novidades,
Diferentes em tudo da esperança;
Do mal ficam as mágoas na lembrança,
E do bem, se algum houve, as saudades.

O tempo cobre o chão de verde manto,
Que já coberto foi de neve fria,
E em mim converte em choro o doce canto.

E, afora este mudar-se cada dia,
Outra mudança faz de mor espanto:
Que não se muda já como soía.

Luís Camões