21 de abr de 2011

Por amor do amor

Ama-me por amor do amor somente
Não digas: "Amo-a pelo seu olhar,
O seu sorriso, o modo de falar
Honesto e brando. Amo-a porque se sente

Minh'alma em comunhão constantemente
Com a sua." Porque pode mudar
Isso tudo, em si mesmo, ao perpassar
Do tempo, ou para ti unicamente.

Nem me ames pelo pranto que a bondade
De tuas mãos enxuga, pois se em mim
Secar, por teu conforto, esta vontade

De chorar, teu amor pode ter fim!
Ama-me por amor do amor, e assim
Me hás de querer por toda a eternidade.

Elizabeth Brownig

2 comentários:

Emoções disse...

Os grandes escritores nunca foram feitos para se submeter à lei dos gramáticos, mas para imporem a sua.

Bell disse...

mtas bjokas pra vc