30 de nov de 2012

Finito


Que pena que nem tudo é eterno.
Nem mesmo o universo, coitado,
tão grande que parece tão limitado.

Quem dera se eu pudesse,
fazer tudo durar mais do que se deve.
Ah, se me coubesse,
esticar os sorrisos que me deste.

Se o bom durasse tanto
talvez não teria muitos prantos.
Ora podia ter sempre encanto, 
ora fosse só desengano.





Nenhum comentário: