30 de set de 2011

Mendigo


   Hoje, quando estava voltando para casa, de dentro do ônibus avistei um mendigo. Ele era muito, muito sujo. Era uma sujidade preta que estava grudada em toda a sua pele. Ele estava em pé olhando não sei pra onde, mas com uma expressão de que procurava por algo ou de que buscava um sentido para a sua vida.
   A princípio eu tive pena daquele mendigo, mas depois eu pensei comigo: o que eu tenho a mais do que ele?Será que por eu ter comida todos os dias, um teto para morar, várias roupas para vestir, ter sapatos e uma boa cama me faz superior àquele mendigo? Agora fica tudo mais claro.
   Como aquele e tantos outros mendigos espalhados pelo mundo afora, eu não sou nada. Você não é nada. Somos como trapos de imundície, diz a santa palavra do Senhor. E é verdade, a mais pura verdade! Não somos NADA, eu repito. Nem melhor, nem pior do que ninguém.
   Não importa o que tenhamos nesse mundo finito, seja ouro, prata, comida ou água, nenhuma matéria mundana nos faz dignos de algum prestígio. Só a graça, queridos amigos, só a graça de Deus nos faz dignos de alguma coisa. Quando nós jogamo-nos fora e deixamos ele habitar é que passamos a ser um alguém.
   Deseje não ser, nesse momento, apenas um mendigo, apenas um "Zé" ninguém e fale, baixinho, para Deus viver em você...

2 comentários:

Eva Laís ●•ツ disse...

Deu saudade de vir aquii!!! BjO, linda. Bom fim de semana!

Maahry! disse...

Que lindo isso...
Realmente nada nos difere de um mendigo, nossas roupas, nossa casa.. são apenas, circunstâncias melhores, mas não superiores...
Seria bom, se todos tivesse essa visão que você passou no texto, porque hoje em dia tem gente que é tão rico que SÓ tem dinheiro!
Ótimo domingo..
Bjoo..♥