4 de abr de 2010

Se os sentimentos fossem objetos, o que faríamos com eles?


As pessoas dão tanto valor a coisas materiais que, admito, às vezes pensar no que fariam se o amor, a amizade, a alegria, o ódio e tantos outros sentimentos fossem objetos palpáveis.
Atitudes superficiais, sorrisos falsos, abraços dados só por conveniência. Existem pessoas assim, que agem exatamente dessa forma, sem se preocupar com os sentimentos das pessoas à sua volta.
E aí eu me pergunto: aonde estão os sentimentos? O que nutre o coração de uma pessoa que age de tal maneira?
Imagino que no mercado dos sentimentos, a tristeza seria o mais barato, por conta de que ninguém a procurasse, mas também por causa da raridade do amor.
A felicidade seria a mais procurada logo, existiriam várias, de variadas marcas, sendo a maioria delas falsas.
Imagino que, talvez, quem sabe, as palavras seriam as moedas utilizadas para a venda e compra dos sentimentos. Imagino também que poucos dariam algumas palavras pela minha sinceridade, o que me obrigaria a comprar muitas angústias e insatisfações.
O amor, coitado, acho que já estaria sendo retirado de circulação. Quem perderia não seriam as empresas, mas cada um de nós.
Mas de uma coisa eu tenho certeza: se os sentimentos fossem objetos, eu colecionaria vários e não venderia meu amor pra nenhuma palavra desse mundo!

Bj pra quem é de bj, abraço pra quem é de abraço!

Um comentário:

Deise Lima disse...

Ainda bem que não o são. Mas mesmo sem ser objetos, os sentimentos são feitos para serem usados, só que não como algo descartável, e sim como algo constante, devemos usar dos bons sentimentos a todo o momento!
Abraço!