17 de dez de 2009

De flor e de aço.


Um alguém delicado
Ser improvável
de pura seda, de amável frescor.
Porque sou de flor.

E se fere-me com meus próprios espinhos
e atreve-se a me machucar com mãos dilacerantes
murchar não será o próximo passo.
Porque sou de aço.

Meus olhos não deterão as lágrimas.
E os teus não contemplarão o sorriso.
Sorriso doce, boca de mel.
Abelha má, coração de fel.

Mas se a lágrima mata o sorriso e revertem os sentidos
Despejo a melancolia.
Acolho a razão.
O coração bate forte no compasso da finita ilusão.

Porque sou de flor.
Porque sou de aço.
Contraste audacioso.
Mulher em sua magnitude.

Um comentário:

Midi disse...

"Pq sou de flor.
Pq sou de aço."
Uma descrição perfeitaa