18 de fev de 2013

Maldição do achar


Eu achava que estava livre para pensar e falar o que quisesse. É claro que eu sei muito bem quando e o que  falar, mas não foi me dada alternativas. Você acha que não tenho o direito de querer e/ou ter mais ninguém? Talvez você tenha se esquecido, mas não faz mal, eu te lembro: você não é mais parte ativa na minha vida! Deveria é ter sido banido eternamente do meu mundo, mas as escolhas são minhas e, não sei porque raios, eu ainda escolho preservar-te nas minhas lembranças queridas.
Eu achava que podia confiar nas pessoas, que poderia expressar minhas insatisfações, pedir opiniões... Aliás, eu achava tanta coisa nessa vida que agora procuro não cogitar mais na possibilidade de que posso alguma coisa.

Nenhum comentário: